Estância Artigas - Santana do Livramento - RS

 

MANEJO OVINO


        Na parte reprodutiva de nossos plantéis, utilizamos a inseminação artificial, bem como montas controladas, conforme o aproveitamento que desejamos dos reprodutores em uso, animais estes que se destacam por apresentarem dados objetivos superiores em carne e lã.

        Nossos plantéis PO e SO, são controlados através de registro individual de produções.

        Anualmente, é feito após 45 dias do término das montas e inseminações o exame de ecografia de todas as fêmeas em reprodução em nossos estabelecimentos, o que nos proporciona as classificar por épocas de parição, gestações gemelares e falhadas. Nos últimos cinco anos temos conseguido um índice de prenhes de mais de 95% e 10% de partos gemelares, o que nos proporciona uma confortável porcentagem de assinalação de cordeiros.

ESQUILA: é realizada nos primeiros dias de agosto (pré-parto), com pente alto (modelo australiano R-13), ferramenta essa que tem nos trazido ótimos resultados já que as ovelhas melhoram seu estado corporal, repercutindo num maior peso ao nascer do cordeiro como também na produção do leite materno.

ACONDICIONAMENTO DE LÃ: usamos ainda o sistema tradicional, onde os velos são separados e acondicionados, já em uma pré-classificação, pois as amostras vão para o laboratório do SUL (Secretariado Uruguaio de Lã), o que vem nos permitindo enfrentarmos a indústria com esta pré-classificação em nossas mãos.

RECRIA DE MACHOS: nossa seleção começa ao assinalarmos, seguindo-se ainda com mais rigor ao desmame e com aproximadamente 12 meses, realizamos o "flock testing" onde são eliminados todos os animais que se encontram fora de nossa orientação produtiva.

RECRIA DE FÊMEAS: segue a mesma orientação da seleção dos machos, sendo que as superiores são destinadas à reposição, como também para venda em nosso remate anual de produção. As que não se enquadram dentro de nossos propósitos de orientação, são destinadas ao abate.

ACABAMENTO DE OVINOS: já há seis anos todos os machos que não se encontram dentro da seleção para reprodutores, bem como as fêmeas, que não atingem a suficiente qualidade para tornarem-se mães planteleiras ou para serem comercializadas em nosso remate anual, são preparadas em pastagens melhoradas ou cultivadas e são destinadas ao abate. 

        Dentro do manejo sanitário, sempre optamos pela rusticidade, dando preferência a animais geneticamente resistentes. Usamos rigoroso calendário de vacinações, vermifugações estratégicas e suplementações proteicominerais conforme as variações climáticas.

 

Orientação Produtiva: + CARNE + LÃ+ CORDEIROS - MICRONAGEM

        Apartir do ano de 2005, com a parceria feita com a conceituada cabanha uruguaia La Esperanza de Gambetta, em projeto de melhoramento genético estamos buscando melhorar as principais características da raça, que venham somar, como na produção de "Lã" com mais peso e menos micronagem, desenvolvimento corporal visando a produção de carne, como também na habilidade materna, assim satisfazendo a característica racial, ou seja, o duplo propósito de carne e lã.

 



VOLTAR